Serviços de Apoio à Comercialização

Segurança alimentar e nutricional

Responsabilidade Socioambiental

CEASA

05/07/2017

Novos Programas Estado garante renda a agricultores e alimentos à população vulnerável

Evento no Palácio Iguaçu O fortalecimento da agricultura familiar e a garantia da segurança alimentar e nutricional da população mais vulnerável são os focos dos novos programas lançados pelo governador Beto Richa na terça-feira (04), em Curitiba. As atividades serão desenvolvidas pela Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, com apoio técnico do Instituto Emater, e da Ceasa Paraná. 


Mais de 4 mil pequenos produtores, de todo o Estado, serão beneficiados com programas como o Mais Renda no Campo, que estimula a geração de emprego e a redução da pobreza e da desigualdade social no meio rural; o Compra Direta Paraná, que garante a aquisição da produção agrícola a ser repassada à rede socioassistencial; e com a instalação de Restaurantes Populares, estabelecimentos com preços acessíveis à população carente. Além disso, o programa Banco de Alimentos, da Ceasa Paraná, será ampliado.



O governo vai aplicar R$ 43,6 milhões nos quatro programas, com recursos do Fundo Estadual de Combate à Pobreza do Paraná (Fecop), uma das medidas do programa de ajuste fiscal implantado pelo Estado para proteger o Paraná da crise nacional, e do Programa de Desenvolvimento Econômico e Territorial (Pró-Rural), que tem financiamento internacional. Somente no Compra Direta serão R$ 15 milhões. 


Proteção 
- O governador afirmou que as novas iniciativas se somam a outras já desenvolvidas pelo governo estadual para proteger segmentos vulneráveis da população rural, como a construção de 13 mil moradias no campo. “Estas novas ações são importantes para garantir mais renda e vida melhor aos agricultores familiares e atender a população mais carente com boa alimentação”, afirmou Richa, completando que o governo prepara um programa para a construção de mais 11 mil casas rurais. 


O secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, disse que esses novos investimentos demonstram o compromisso do Governo do Paraná com a agricultura. “É uma estratégia adequada, que tem larga aceitação por parte dos produtores e beneficiados, utilizada para reforçar ainda mais os nossos laços com a agricultura”, disse ele. 

Chamadas públicas
 
- Os recursos serão aplicados, de forma inédita, em ações no meio rural, para apoiar produtores que precisam superar dificuldade de acesso a recursos, tecnologia e orientação. As ações também garantirão alimento de qualidade e em quantidade para populações que estão em risco social em qualquer região do Estado.


O acesso aos recursos vai ocorrer via chamadas públicas, para a apresentação de projetos por cooperativas e associações da agricultura familiar e pelo cadastramento de agricultores para venda de alimentos ao Governo do Paraná. “O desemprego e a queda da renda real reforçam a importância destas ações para reduzir as dificuldades das famílias mais vulneráveis no acesso a alimentos e assegurar uma vida mais saudável e digna”, afirmou o secretário Ortigara. 


Benefícios 
- O presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Paraná (Fetaep), Ademir Mueller, disse que as iniciativas do governo vão gerar dois grandes benefícios. “Primeiro o aumento da renda dos agricultores familiares, que agora terão mais espaço para comercializar seus produtos, e segundo a agregação de valor aos produtos deles, que terão mais qualidade”, disse. 


Banco de Alimentos - O programa Banco de Alimentos, que já funciona na Ceasa Paraná, será reforçado com recursos avaliados em R$ 1,1 milhão para atuar com mais eficiência nas unidades da central atacadista em Curitiba, Foz do Iguaçu, Cascavel, Londrina e Maringá.


Estamos reestruturando as atividades do programa dentro das cinco unidades da Ceasa no Estado. Vamos unificar as ações e trabalhos do Banco de Alimento, e além do repasse in natura iremos também fazer o processamento dos hortigranjeiros que são doados pelos produtores e permissionários que atuam em nossos mercados”, disse Natalino Avance de Souza, diretor presidente da Ceasa Paraná.

Está prevista a modernização dessas estruturas, com ampliação do suprimento de gêneros alimentícios que serão distribuídos à população em situação de insegurança alimentar. Além disso, visa combater o desperdício nas centrais atacadistas com o aproveitamento racional de produtos com algum defeito comercial. Em média por mês são reaproveitados cerca de 418 mil quilos de hortigranjeiros, que são repassadas posteriormente para as 531 entidades assistências cadastradas junto ao programa.


Além da diretoria da Ceasa Paraná, estiveram também presentes no evento realizado no Salão de Atos, do Palácio Iguaçu, representantes da direção do Sindicato dos Permissionários da Centrais de Abastecimento – Sindaruc. O sindicato também foi responsável pela cessão de frutas para degustação no evento, e ainda da mesa decorativa com os símbolos da Ceasa, do Sindaruc e de outras entidades ligadas a agricultura.

Renda e Alimentos - Mais detalhes sobre cada um dos novos programa clique javascript:void(0);/*1499264038062*/ 

Fotos: Arnaldo Alves / Divulgação AEN

Evento Palácio Iguaçu

Evento Palácio Iguaçu

Norberto Ortigara

Evento no Palácio Iguaçu

Evento Palácio Iguaçu

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.