Serviços de Apoio à Comercialização

Segurança alimentar e nutricional

Responsabilidade Socioambiental

CEASA

22/05/2018

Nota do Governo do Estado sobre o programa Banco de Alimentos da Ceasa Paraná

Banco de alimentos 

O Governo do Estado informa que acompanha com preocupação a manifestação de permissionários do Ceasa de Curitiba que deixaram de repassar produtos para o Banco de Alimentos, reduzindo o estoque do programa e o atendimento a organizações assistenciais beneficiadas pela iniciativa.

A Secretaria da Agricultura e Abastecimento busca agendar uma reunião ainda hoje com a entidade que representa os permissionários da unidade da capital para entender a situação, e tenta evitar que pessoas e instituições que necessitam dos alimentos sejam prejudicadas.

O Banco de Alimentos da Ceasa Paraná é o primeiro do Brasil a ser instalado em Centrais de Abastecimento. A atividade é uma iniciativa de abastecimento e segurança alimentar realizada em parceria com agricultores e permissionários atacadistas das Ceasas de Curitiba, Londrina, Maringá, Cascavel e Foz do Iguaçu, através da coleta e repasse de hortigranjeiros sem padrão de comercialização, porém ainda em boas condições de consumo.

Depois de doados, esses produtos são separados e selecionados, sendo após encaminhados diariamente para as 531 entidades assistências, orfanatos, creches, hospitais públicos entre outros, cadastradas no programa. O Banco de Alimentos da Ceasa do Paraná faz um reaproveitamento, em média por dia, de 20 toneladas de produtos, que seriam descartados junto aos respectivos aterros sanitários.

As doações dos hortigranjeiros não são obrigatórias, mas sim uma ação social por parte dos permissionários e agricultores. Apesar da dificuldade momentânea em Curitiba, nas outras quatro unidades (Londrina, Maringá, Cascavel e Foz) o Banco de Alimentos está funcionando normalmente, tanto na coleta, separação e doações para as entidades cadastradas junto ao programa.

Neste período do ano (outono e inverno), há uma natural diminuição da produção, refletindo também na retração da comercialização e, por conseguinte, diminuição das doações feitas para os respectivos Bancos de Alimentos.


 

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.